O surgimento e a evolução dos calçados de couro



Oi amores,
Hoje em dia é natural utilizarmos calçados, mas quanto tempo utilizamos estes artigos nos pés?
Como surgiram e como eram produzidos?
Fomos atras de algumas respostas a respeito deste tema.


Em consequência da necessidade de proteger os pés, os homens das cavernas criaram algo para não dificultar a mobilidade. Pinturas feitas em cavernas, 10 mil anos antes de Cristo, mostram que o homem já fazia uso de espécies rudimentares de calçados. Entre seus utensílios existiam vários que serviam para raspar as peles de animais, o que indica que a arte de curtir o couro é muito antiga.


Os animais eram caçados para, primeiramente, servirem como alimentação. Depois, a sua pele era aproveitada para criar roupas, sapatos e tendas. O couro foi crucial para o desenvolvimento da humanidade.
Os primeiros sapatos eram feitos de couro animal costurado ou folhas grandes amarradas ao redor dos pés.

O sapato mais antigo de que se tem notícia tem cerca de 5500 anos. Ele é de couro e foi encontrado em uma caverna na Armênia em 2010 por cientistas internacionais liderados pela Universidade de Cork, na Irlanda.


Na antiguidade
Os egípcios eram vaidosos e gostavam de um visual colorido. Então, criaram processos de corte, costura, tingimento e estamparia do material durante a época dos faraós.

Na Grécia Antiga, houve a criação do curtimento usando folhas e cascas de árvores para manter a flexibilidade, durabilidade e resistência do couro. Até hoje, o curtume com extratos tânicos derivados de espécies florestais é utilizado.


Na Idade Média os calçados eram levemente pontiagudos, ainda sem distinção entre masculino e feminino, ou direito e esquerdo. Em geral, quanto mais pontiagudo o calçado, maior a classe social de quem o usava.

Os gregos lançaram diversos modelos e chegaram a criar os primeiros calçados especializados para cada pé, direito e esquerdo.

Os calçados eram indicativo da classe social, escravos andavam descalços, homens livres tinham sapatos de folhas de papiro e os mais nobres usavam sapatos pontudos.
No século XVI os saltos eram objetos exclusivamente masculinos, um símbolo de ostentação e riqueza.


Revolução industrial
Os sapatos manufaturados começaram a aparecer durante o século XVIII, no início da Revolução Industrial. Começaram a surgir as máquinas para auxiliar na confecção dos calçados mas, só com a máquina de costura o sapato passou a ser mais acessível.

A partir da quarta década do século XX houve a inclusão da borracha e materiais sintéticos, principalmente nos calçados femininos e infantis.

Enfim, inicialmente os calçados foram criados apenas para proteger os pés, hoje em dia o objetivo é muito além disso. O cuidado na produção de calçados anatômicos que proporcionem mais conforto e elegância torna-se um objeto de adorno ao look de grande destaque.

Atualmente, o couro faz história por conta da sua importância para a economia brasileira. Material que dificilmente consegue ser substituído devido às suas características que outros tecidos não conseguem reproduzir, como a sua porosidade, que permite que a pele “respire” e torna o uso muito mais confortável. Além disso, é elástico, flexível e resistente à tração e ao atrito.

Nossa história no ramo de calçados femininos começa em 2012. Entre erros e acertos a empresa foi se consolidando e ao longo do tempo, o que era um sonho tornou-se uma realidade.

Comente:

Your email address will not be published.

Site Footer

Sliding Sidebar